O teu carrinho

Parece que o teu carrinho está vazio!

Continuar a comprar

Passa à outra e não à mesma…

by Sandrina Fernandes |  | 4 comentários

A equipa da GREENSENSE é composta na sua maioria por mulheres que além de mães são também pessoas muito práticas!
Numa das nossas últimas conversas apurámos o que cada uma tinha dos seus miúdos e que podia passar à próxima e sim, estamos a falar de trocar coisas entre miúdos ou da nossa “Roda da Maternidade”.

Quando se descobre que há um bebé a caminho (especialmente o primeiro), abre-se um novo mundo e aprende-se que:

- existe uma infinidade de coisas para bebés (com maior ou menor utilidade) e geralmente são caras;

- os miúdos crescem rápido (esta é uma verdade universal que nos pode atingir imediatamente ou um pouco mais tarde, dependendo do quão romântica é a nossa visão sobre a maternidade);

- com cada bebé que nasce, nasce o desejo de darmos tudo o que de melhor pudermos dar e às vezes nasce também a culpa por não ser possível.

Aqui, na GREENSENSE, já todas passámos pela fase da iniciação à maternidade e já recolhemos alguma informação, o que nos permite deixar algumas sugestões para quem está agora a começar esse caminho.

Como passar pela maternidade sem ir à falência e de forma sustentável?

 

1º Pergunta às amigas:

- Fala com as tuas amigas ou conhecidas cuja experiência te mereça confiança e tenta informar-te dos “imprescindíveis” da maternidade sem os quais podes viver alegremente;

- Recolhe sugestões e opiniões de marcas e/ou produtos que são realmente necessários e truques para contornares os “imprescindíveis”.
E porquê às amigas? Porque no caso das nossas mães a maternidade, desta fase, está geralmente muito lá atrás e muitas das coisas que existem hoje em dia, não havia no tempo em que éramos bebés!

 

2º Pede às amigas:

- Pede às amigas que têm coisas dos seus filhos disponíveis se as podem emprestar, poupando assim em dinheiro e evitando que algumas dessas coisas acabem em garagens a apanhar pó e humidade ou eventualmente no lixo. Há sempre qualquer coisa que nós temos obrigatoriamente de comprar, quer porque não há ninguém que a tenha livre ou porque tu realmente queres aquela coisa em específico, por isso se puderes poupar noutras coisas, aproveita.

Por cá, já rodámos berço, cama de grades, carrinho de passeio, cadeiras auto, banheiras, muda fraldas, cadeiras da papa, parques e muitas outras coisas.

E porquê emprestar? Porque depressa aprendemos que existe um mundo de coisas para os bebés, que por norma são caras e que geralmente têm um tempo de utilização curto.

 

3º Que bem que este nosso fato fica aos miúdos:

- Se os produtos para bebé são caros e duram pouco, a roupa e calçado duram ainda menos (especialmente no primeiro ano, em que os miúdos crescem realmente depressa). Então, se te oferecem roupa e/ou calçado aproveita, embora geralmente nos ofereçam muita roupa para o início das vidas deles, mas se tiveres roupa dos filhos das amigas aproveita ainda mais.

E porquê usar roupa e/ou sapatos em segunda mão? Porque a quantidade de roupa e sapatos que nos oferecem ou que compramos à medida do crescimento não costuma acompanhar a que se suja e que deixa de servir num abrir e fechar de olhos, por isso toda a que vem é bem-vinda.

 

4º Onde já vi este brinquedo?

- Ui, os brinquedos! Os brinquedos são como tudo o resto que há para miúdos, uma variedade enorme e uma renda se seguirmos os interesses dos mais pequenos. Por isso aconselhamos que os emprestem ou que, se forem habilidosas, façam alguns deles.
- Se quiserem comprar, deem preferência a brinquedos de madeira – duram mais e largamos devagarinho os brinquedos de plástico, diminuindo assim o desperdício.

E porquê? Porque é mais provável que assim tenhas uma variedade incrível de brinquedos, que na verdade nunca ficarão a apanhar pó na garagem quando já não forem adequados à idade dos miúdos ou quando eles se fartarem deles.

 

5º O saber não ocupa lugar!

- Pesquisa e informa-te, pergunta, esclarece dúvidas, ouve opiniões diferentes e no fim decide o que é mais confortável para ti, em todos os aspetos – financeiramente, mentalmente, emocionalmente e conscientemente.

- Nos dias de hoje há cada vez mais opções ecológicas e sustentáveis no mercado, pesquisa sobre elas e faz escolhas conscientes e confortáveis para ti. Falamos de fraldas reutilizáveis, tintas vegetais, chupetas de borracha natural, louça e talheres de bambu, roupa em algodão biológico, produtos de higiene naturais, entre outros.

 

6º Estima e passa:

- Sem fundamentalismos, porque as crianças são crianças e precisam de brincar, sujar-se, cair e levantar, deves estimar as tuas coisas e as que estão na “Roda da Maternidade” para que possam continuar a rodar!

Empresta apenas o que está no mesmo estado em que gostarias de as receber e quando estiveres despachada “Passa à Próxima!”

Comentários (4)

  • fhGtOPbNpSosrai em August 14, 2020

    SkrtwmIvJsTXBgV

  • bitKRPrXv em August 14, 2020

    FhrARBQnEYuZL

  • xeoGmTHKdigvOn em July 24, 2020

    HfcpXoVSrUOgKsPm

  • EkqFWpDLwsX em July 24, 2020

    ORxSidpnKIqm

Deixa o teu comentário